Artes de Pesca

Pesca do Candil  
A pesca do Candil na enseada da Nazaré utiliza a rede de cerco recorrendo à técnica de candeio durante na pesca nocturna.
O termo "candil" está associado ao candeio, cuja luz tem o efeito de chamariz, de modo a atrair e concentrar o cardume junto da lancha auxiliar.
Este tipo de pesca pode ser realizado também "ao engodo e ao candeio", cujo cardume é atraído pela fonte luminosa e mantido junto à lancha através do lançamento de engodo constituído por restos de peixe moído.

A pesca do Candil executa-se a partir das profundidades dos 20 metros na enseada desde da Pedra do Guilhim, ao longo da praia até ao Porto de abrigo, podendo esporadicamente realizar-se fora da enseada, nas zonas a norte e a sul da Nazaré.

Pesca do cerco
A pesca do cerco emprega artes de pesca cujo princípio de actuação consiste no envolvimento de cardumes de espécies oceânicas pelos lados e por baixo, de modo a impedir a sua fuga. 
A rede de cerco com retenida é o tipo de rede utilizado pela frota da pesca do cerco nazarena. Esta rede é caracterizada pela existência de um cabo na parte inferior da rede (retenida ou jareta) que possibilita o respectivo fecho como uma bolsa, de modo a reter a totalidade dos cardumes cercados.
Estas redes podem ser manobradas por uma embarcação, com eventual recurso a uma embarcação auxiliar (chata ou chalandra). 

Redes de emalhar
São artes de pesca constituídas por panos de rede de forma rectangular unidas topo a topo, formando um conjunto de dimensão variável denominado «caçada» ou «caça».
As redes de emalhar podem ser constituídas por um só pano, as redes de emalhar propriamente ditas, e por redes de três panos, designados os Tresmalhos, constituídos por dois panos exteriores de grande malhagem (alvitanas) e um pano de rede interior de pequena malha (miúdo). 

Anzol
As técnicas de pesca que utilizam anzol são muito eficazes, dado que podem capturar espécies quer à superfície, quer em profundidade, ou em fundos acidentados e sem declive.
A pesca do Anzol é a técnica de pesca mais seletiva e, simultaneamente, a única arte de pesca que não degrada os fundos marinhos.
Este método de pesca baseia-se na atração do peixe utilizando um isco fixo no anzol e do qual o peixe, depois de preso, normalmente não se consegue soltar.
A pesca de Anzol utiliza uma linha principal denominada madre, à qual são ligadas linhas secundárias, os estralhos, possuindo na sua extremidade os anzóis.

Armadilhas
Este método de pesca pertence ao grupo das artes passivas, uma vez que é o próprio animal que as procura, normalmente como refúgio, ou atraído para o dispositivo para se alimentar, o que depois lhe dificulta ou impossibilita a fuga.
Os modelos de armadilhas variam de forma e material, de acordo com a região (influência cultural), ambiente natural (adaptação a condicionantes como tipo de fundo e regime de correntes), e com a espécie-alvo.
As armadilhas mais utilizadas na Nazaré são os covos e os alcatruzes.