Concelho da Nazaré

Bem-vindo ao Município da Nazaré.
O Concelho

Esta vila de pescadores, sede do Município, fascina pela forma de receber, pelo casario branco, pelo traje tradicional, reflexo de aspetos culturais locais, e pela uma paisagem marítima inigualável. A Nazaré mantém-se como um dos destinos turísticos preferidos de portugueses e estrangeiros, e como um dos locais mais fotografados do país. Acompanhou o tempo, modernizando-se, mas manteve muitas das suas tradições.
No topo da Vila situa-se o Sítio, onde se encontram os melhores miradouros, e por onde chega por estrada ou pelo centenário ascensor. Este é um local muito visitado por peregrinos, pelo Santuário Mariano de N. S. Nazaré, mas também pela Praia do Norte, famosa pelas suas ondas grandes, e onde se localiza o Forte de S. Miguel Arcanjo, do século XVII, onde está instalado o farol.
No extremo oposto da praia, a Pederneira, antiga sede de concelho, onde existiu um dos estaleiros mais ativos do reino de Portugal nos séculos XII e XIV.
O concelho é composto por três freguesias. Além da sede do concelho, as freguesias de Valado dos Frades e Famalicão compõem o Município, ambas as autarquias mais ligadas à atividade rural, mas detentoras de paisagens fantásticas e de património a visitar. A Quinta do Campo ou a Estação de Caminhos-de-ferro, em Valado dos Valado dos Frades, a Igreja de S. Gião ou as Pegadas de Dinossauro em Famalicão são excelentes exemplos disso.

 

Heráldica

Constituição heráldica das Armas, Selo e Bandeira do Município da Nazaré

O Brasão Municipal é o símbolo adotado por cada município, em que estão representados as suas armas (de acordo com o despacho publicado no Diário do Governo nº54, II Série, de 6 de Março de 1957).

ARMAS

De verde, com uma torre coberta e rematada por uma cruz, tudo de prata, aberta e iluminada de vermelho, assente num cômoro de sua cor, realçado de negro e de verde, cortado por três faixas ondadas, duas de prata e uma de verde, na qual assentam dois golfinhos afrontados de ouro, realçados de negro, com as caudas levantadas, acompanhando a torre. Coroa de mural de prata de quatro torres. Listel branco com a palavra “Nazaré” a negro.

SELO

Circular, tendo ao centro as peças das armas, sem indicação dos esmaltes. Em volta, dentro de círculos concêntricos, os dizeres “Câmara Municipal da Nazaré”.

BANDEIRA

Esquartelada de amarelo e de vermelho. Cordões e borlas de vermelho e de prata.

Significado das Armas do Município da Nazaré:

O verde indicado para o campo das armas, para a faixa ondada e para o realçado do monte, é o esmalte que heraldicamente simboliza o mar e significa a fé e a esperança.
A prata da torre representativa do templo e das faixas ondadas, é o metal que na heráldica simboliza a pureza e significa humildade e riqueza.
O ouro dos golfinhos, é o metal que significa fidelidade, constância e poder.
O negro que realça os golfinhos e o monte, simboliza a terra e significa firmeza e honestidade.
O vermelho do aberto e iluminado do templo, simboliza a vida e significa audácia e força.
Heraldicamente, está estabelecido que o mar se represente por faixas ondadas de prata e verde.
Os golfinhos simbolizam os peixes, a grande riqueza que os naturais da Nazaré vão buscar ao mar, com o risco de vida.
Com estas peças e este esmalte, ficam simbolizados a história e a riqueza local, bem como a índole dos naturais.

Demografia

Dados demográficos do concelho da Nazaré
População Residente: 15.158 habitantes
47.74% homens
52.26% mulheres
 
Alojamentos: 13.148
Famílias: 5.993
Dimensão média familiar: 2.5
 
dados dos Censos 2011
Para mais informação: INE http://www.ine.pt/scripts/flex_definitivos/Main.html

POPULAÇÃO
O concelho da Nazaré, actualmente com cerca de 15 mil habitantes, é constituído por três freguesias: Famalicão, Nazaré e Valado dos Frades.

ECONOMIA
A pesca foi sempre a principal actividade dos Nazarenos e as tripulações dos bacalhoeiros para a Terra Nova eram constituídas por pescadores da Nazaré. No entanto, nos nossos dias, a industrialização da pesca, a construção do Porto de Abrigo inaugurado em 1983, e a crise do sector contribuíram para a perda da importância da pesca artesanal obrigando muitos pescadores e respectivas famílias a enveredar por outras profissões. Assim, nas últimas décadas, tem-se assistido à terciarização do tecido económico local, muito por força do incremento do turismo e da prestação de serviços associada.
Contudo, o sector primário, e nomeadamente a agricultura, continua a ter um papel relevante nas freguesias de Famalicão e de Valado dos Frades, onde existem importantes explorações agrícolas, ligadas principalmente à hortofruticultura.
 

Sectores de Actividade

Sector primário: agricultura intensiva (predomínio da produção hortícola e frutícola); silvicultura; pecuária e produção animal; pesca.

Sector secundário: Indústria cerâmica e indústria transformadora agro-alimentar e de pescado.
Sector terciário: Turismo (hotelaria, restauração e similares, comércio) e serviços administrativos.