Igreja Matriz

Igreja da Fábrica Paroquial de Nossa Senhora das Areias e de S. Pedro da Pederneira.
Trata-se de um edifício cuja construção decorreu entre os séculos XVI e XIX.
São várias as teorias sobre quando e quem mandou construir este belo edifício. Na opinião do padre António Carvalho da Costa, a actual Igreja matriz terá sido construída pela população de Paredes, vila que no século XVI ficou completamente soterrada, o que obrigou a sua população a migrar para cá.
Por este facto, muitos investigadores, nomeadamente os do século XVIII, dão como certa a fundação do aglomerado urbano da Pederneira pelas gentes da extinta vila de Paredes.
Segundo José D´Almeida Salazar, Ermitão da Real Capela de Nossa Senhora da Nazaré, a Matriz da Pederneira, terá sido palácio ou casa de recreio de Sua Majestade, o senhor Cardeal Rei, D. Henrique, quando foi Abade d´Alcobaça, onde quase todos os anos vinha passar o verão.
De uma só nave é composta por uma Capela-mor com altar de talha dourada do século XVII. A grande bancada da Irmandade, ornada de talha dourada setecentista, é digna de nota. As paredes da nave e da capela-mor são revestidas por um silhar de azulejos tipo “padrão”, verdes, azuis e amarelos, do século XVII, rematados por azulejos tipo “tapete”. Na capela-mor, sobre duas portas, quadros cerâmicos embutidos com a cruz dos Bulhões, ostentam a seguinte inscrição: “Os devotos de Santo António mandaram azulejar esta capela. Ano de 1637”.