Muralha do Sítio

Foi construída com o objectivo de proteger o aglomerado urbano das tempestades de areia vindas de poente e de norte.
Construída em pedra, com passagens em arco completo em alguns arruamentos, envolve uma parte do centro histórico do Sítio da Nazaré.
A construção da Muralha do Sítio iniciou-se em 1736 e teve o seu fim em 1750, com o objectivo de evitar a invasão das areias, o que não viria a resultar, dando origem à plantação do pinhal a norte do Sítio da Nazaré.
As várias portas existentes foram sendo tapadas para impedir a entrada das areias, anulando a versatilidade da mesma, enquanto muralha de protecção com acessos de e para os campos de cultivo que existiam a poente e a norte.
Pelos anos de 1750 o Sítio encontrava-se quase submerso pelas areias trazidas pelos ventos do norte, com casas e fontes enterradas, sendo frequente os habitantes terem de sair pelos telhados por não o poderem fazer pelas portas e janelas.
Fora da muralha, em 1751, é semeada vegetação vinda de São Gião e taparam-se mais quatro portas da muralha. Em 1753 caiu uma grande parte da muralha que foi reparada em Janeiro e Fevereiro de 1754.
Administrador e Mesários da Real Casa da Nazaré ordenaram a plantação de pinheiros, de forma a conter a invasão das areias.