Cultura

“Caricaturas de outras gentes” na Galeria Municipal Paul Girol

“Caricaturas de outras gentes” é o tema da exposição que a Galeria Municipal Paul Girol abre no próximo dia 13. As caricaturas são pertencentes ao Museu da Nazaré, da coleção de Joaquim Manso (1878-1956), representando este jornalista e outras figuras da vida pública dos inícios do século XX.

Estão presentes artistas como Francisco Valença, Amarelhe e Armando Boaventura que, sobretudo a traço preto, destacam de forma bem-humorada ou crítica algumas personagens do círculo político e intelectual da época. Várias privavam de perto com Joaquim Manso e as suas caricaturas destinavam-se certamente à imprensa, nomeadamente ao “Diário de Lisboa”, de que Joaquim Manso foi fundador e diretor durante 35 anos.

Género artístico que, em Portugal, vinha ganhando relevo desde o final do século XIX, com a ação do prodigioso e multifacetado Rafael Bordalo Pinheiro, a caricatura encontrou na imprensa um espaço público mais visível, que hoje a torna, a par da sua apreciação estética, numa fonte de significado sociológico ou num instrumento de descodificação da realidade histórico-político da época.

Nas primeiras décadas do século XX, a caricatura e a visão humorista ocuparam um lugar de relevo também entre os artistas modernistas que procuravam romper com a linguagem oitocentista, entre os quais encontramos alguns dos artistas aqui patentes, como Amarelhe e Francisco Valença.

Do conjunto apresentado nesta exposição, sobressai a caricatura individualizada, centrada no exagero das particularidades físicas do rosto. Algumas, acompanhadas por anotações escritas, apontam a denúncia ou o comentário satírico da vida nacional.

O período da sua produção – anos 1920 e 1930 – é também interessante para a história da caricatura portuguesa, num momento de charneira, marcado, a nível internacional, pelo período entre-Guerras e, no país, pelo fim da I República e o início da Ditadura e o que esta significou em termos de orientação editorial e da liberdade de expressão na imprensa e na cultura em geral.

Notabilizando-se como escritor, ensaísta e jornalista, Joaquim Manso passava as férias nesta vila piscatória, no edifício que vem a ser doado ao Estado em 1968, para aí se instalar o Museu da Nazaré, inaugurado em 1976. Nesta exposição, é apresentada pela primeira vez parte da coleção de caricaturas do jornalista, doadas ao Museu em 1977, pelo filho Eng. Pedro Manso Lefèvre.

A exposição ficará patente até 5 de março.

Galeria Municipal Paul Girol

Rua Grupo Desportivo “Os Nazarenos”
2450-291 Nazaré
segunda-feira a sexta-feira
9h30 às 13h | 14h às 18h
sábado
15h às 18h

 

MUSEU DR. JOAQUIM MANSO / Direção Regional de Cultura do Centro
Rua D. Fuas Roupinho - Sítio
2450-065 Nazaré
telef. 262562801
e-mail: mjmanso@drcc.pt
Acompanhe-nos em http://mdjm-nazare.blogspot.com
https://www.facebook.com/MuseudaNazare