Cultura

Embarcação tradicional “Perdido” foi restaurada e já regressou à exposição no areal da Praia da Nazaré

A embarcação de arte xávega "Perdido", registada na Capitania da Nazaré em 1949, regressou à exposição de Embarcações Tradicionais na praia da vila, depois de ter sido restaurada, nas oficinas municipais, pelo calafate José Joaquim Constantino.

Já foram restaurados os barcos do candil "Vagos", a lancha auxiliar "Ilda" e, agora, a embarcação de arte xávega “Perdido”, seguindo-se igual intervenção na barca "Mimosa". 

As embarcações tradicionais “Nossa Senhora dos Aflitos”, “Mimosa”, “Perdido”, “Vagos”, “Ilda”, “Três Irmãos Leais” e “Sol da Vida” são ícones representativos da identidade e da história do concelho, associada ao mar. 

O núcleo museológico, que resulta de uma colaboração da Câmara com Museu Etnográfico Joaquim Manso, é composto pelo Tridente Centro Cultural da Nazaré/Antiga Lota, Secagem do Peixe e Embarcações Tradicionais.

Trata-se de um elemento diferenciador da cultura local. A manutenção e conservação deste espaço museológico são asseguradas pela Câmara Municipal.