Política

Início de ano na Escola Básica e Secundária Amadeu Gaudêncio

Começaram, hoje, as aulas na Escola Básica e Secundária Amadeu Gaudêncio. Duas turmas, nas áreas de Humanidades, e Ciências e Tecnologias, deram início ao ensino secundário público no concelho da Nazaré.

“É a primeira vez que temos ensino secundário público. É quase tão importante como a inauguração do Porto da Nazaré”, disse João Magueta, da Direção do Agrupamento de Escolas da Nazaré, no dia em que se fez a receção de pais, encarregados de educação e alunos.

As aulas começam numa altura em que ainda decorrerem as obras de beneficiação, que representam um investimento de 349 mil euros. 

A construção de seis salas novas, a substituição da cobertura e a melhoria dos laboratórios foram algumas das intervenções efetuadas nesta fase, com o objetivo de melhorar as condições do edifício e prepará-lo receber o ensino secundário público.

As obras surgem no âmbito de um acordo de colaboração entre o Município e Ministério da Educação, cuja comparticipação é de 149 mil euros.

“Não foi vontade de ninguém que as obras se prolongassem até agora. Esta escola recebeu, há 8 anos, financiamento para as fazer, mas isso nunca aconteceu.  Só em novembro de 2016 é que o processo foi desbloqueado junto da tutela, e nessa altura já se previa que a intervenção se atrasasse em cerca de duas semanas. As obras estão a acontecer porque a Câmara Municipal adiantou o dinheiro”, explicou o responsável, acrescentando que o processo de beneficiação se irá prolongar-se por mais 15 dias, embora com menos ruído para não perturbar as aulas, e que as aulas em falta serão compensadas.

Por seu turno, Manuel Sequeira, vereador da Educação na Câmara Municipal falou em “momento único” na história do ensino público no concelho, e da existência do público e privado na mesma localidade.

“Ter ensino secundário público não inviabiliza o privado de qualidade. Permite, isso sim, ter escolhas, num concelho que era dos poucos, no país, sem ensino secundário público”.

A saída de alunos para concelhos vizinhos, onde podiam prosseguir os estudos do secundário público, foi uma das preocupações manifestada por pais, encarregados de educação e Conselho Municipal de Educação, e transmitida pela Câmara à tutela, que se mostrou sensível ao assunto, autorizando a ampliação da oferta da escola até ao ensino secundário.

No âmbito do acordo, a Câmara Municipal ficou responsável pelos projetos de arquitetura e das especialidades para a beneficiação das instalações da escola, lançamento do procedimento e adjudicação das obras.

O Presidente da Câmara, Walter Chicharro, falou em “dia histórico” porque se concretiza a “melhoria de condições para os alunos”, nomeadamente no prosseguimento dos seus estudos no concelho; e de uma “etapa nova no ensino do concelho”, alcançada após a aliança entre os vários elementos que compõem a comunidade educativa.

“A instalação do ensino secundário público na Nazaré deve-se ao esforço conjunto. Temos sido parceiros e a porta da Câmara continua a aberta para se criarem as condições necessárias ao sucesso de todos no processo de ensino e aprendizagem”.

Também o Presidente da Associação de Pais, Nuno Ferreira, mostrou a sua satisfação pela intervenção ao afirmar: “estamos a viver o sonho. O processo das obras é dinâmico, e com ele pretende-se melhorar o espaço” de aprendizagem.