Atualidade

Obras de reparação do Molhe Norte do Porto de Pesca concluídas em julho

As obras de reparação do molhe norte do Porto de Pesca da Nazaré terminarão a 27 de julho. A data foi, hoje, apontada, pelos técnicos da obra ao Secretário de Estado do Mar, Manuel Pinto de Abreu, que visitou os estaleiros e a intervenção em curso.

O vice-presidente da Câmara, Manuel Sequeira, que acompanhou a comitiva, mostrou-se “bastante satisfeito” com a visita do governante, bem como com os prazos estimados para a conclusão desta intervenção.

O Secretário de Estado deslocou-se à Nazaré para acompanhar a evolução dos trabalhos e verificar se os prazos inicialmente adiantados para esta intervenção estavam a ser cumpridos.

O investimento, na ordem dos 1,2 milhões de euros, no molhe norte do Porto de Abrigo incidem na reconstrução de toda a zona destruída pelo temporal de 2013, incluindo a cabeça de rotação e a sua proteção, que será efetuada com um material mais resistente, os tetrápodes.

A obra teve início do ano passado, mas foi interrompida durante o Inverno. Segundo os técnicos da obra, logo que se conclua esta intervenção terá início a empreitada do molhe sul, avaliada em cerca de 500 mil euros, e que contemplará a reparação e reperfilamento do talude interior do quebra-mar, e o reforço, na mesma zona, do talude exterior, e do seu pé, com tetrápodes.

A requalificação e a atração de investidores para o Porto de Pesca da Nazaré são prioritárias para a gestão da Câmara.

O Presidente da Câmara, Walter Chicharro, que desde o início do mandato já reuniu com diversas entidades, entre as quais o Secretário de Estado do Mar, Manuel Pinto de Abreu, e com Miguel Sequeira, da Direção-Geral de Recursos Naturais, sobre a pesca e o Porto, considera que este equipamento é o de maior relevância do concelho, e como tal “deve ver a sua importância reforçada na componente de apoio à atividade piscatória, assim como, potenciar o acolhimento de infraestruturas que possam potenciar a instalação de outras atividades económicas”.

A reparação dos molhes norte e sul, cujas estruturas se encontram deterioradas e em acelerado processo de degradação, colocando em causa a livre entrada e saída de embarcações na área portuária e agravando os riscos de segurança para pessoas e bens; a dragagem do Porto e da entrada da barra portuária, onde o processo de assoreamento tem vindo a dificultar o fim do mesmo; a reparação dos cais e áreas de passagem de tripulantes de embarcações, que atualmente, apresentam deficiências para funções para as quais foram projetadas; e a organização do espaço físico terrestre do Porto da Nazaré em que se possam gerar possibilidades de implementação empresarial: de cariz marítimo (junto à área de armazéns); e de cariz turístico (junto à envolvente da atual Marina de Recreio), têm sido, frequentemente, as intervenções solicitadas pela Câmara da Nazaré à tutela do Porto.

Porto de Abrigo nasceu há 30 anos
A luta pela construção do Porto durou décadas. Vários projetos e estudos foram feitos, ao longo de anos, mas a construção do porto de abrigo só foi iniciada em dezembro de 1979, já durante o mandato do II Governo Constitucional, resultando de uma promessa eleitoral de Mário Soares. O projeto, assinado por Reis de Carvalho, foi financiado com capital da cooperação financeira entre a Alemanha e Portugal. A construção só seria efetivamente concluída no ano de 1983.