Ambiente

Temperaturas elevadas esperadas até 18 de julho elevam para elevado o risco de incêndio

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA prevê-se para os próximos dias continuação de tempo quente e seco com consequências nos índices de risco de incêndio (muito elevado a máximo).

É esperada a subida gradual da temperatura máxima nos próximos dias, com previsão de Noites tropicais; humidade Relativa do Ar Humidade relativa <20% no interior durante a tarde, com fraca recuperação noturna, exceto na faixa costeira; Vento fraco a moderado (até 30 km/h) do quadrante leste, soprando de noroeste na faixa costeira ocidental, por vezes forte (até 40 km/h) a norte do Cabo Raso, durante a tarde e início da noite.

As condições meteorológicas esperadas são favoráveis à eventual ocorrência e propagação de incêndios rurais, pelo que a Autoridade Nacional de Emergência de Proteção Civil recorda que durante o período critico, de 1 de julho a 30 setembro é proibido fazer queimadas extensivas sem autorização; fazer queima de amontoados sem autorização; utilizar fogareiros e grelhadores em todo o espaço rural salvo se, usados fora das zonas críticas e nos locais devidamente autorizados, para o efeito; fumar ou fazer qualquer tipo de lume nos espaços florestais; lançar balões de mecha acesa e foguetes. O uso de fogo-de-artifício só é permitido com autorização da câmara municipal; fumigar ou desinfestar apiários exceto se os fumigadores tiverem dispositivos de retenção de faúlhas; usar motorroçadoras (exceto se possuírem fio de nylon), corta-matos e destroçadores nos dias de Risco Máximo (devem evitar-se grades de discos), sendo obrigatório usar dispositivos de retenção de faíscas e de tapa-chamas nos tubos de escape e chaminés das máquinas de combustão interna e externa nos veículos de transporte pesados e 1 ou 2 extintores de 6 Kg, consoante o peso máximo seja inferior ou superior a 10 toneladas;

A ANEPC recomenda a adequação dos comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando a legislação em vigor, e tomando especial atenção à evolução do perigo de incêndio neste período, disponível junto dos sítios da internet da ANEPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros;