Turismo

Turismo Centro Portugal pretende ser destino acessível e inclusivo

Para comemorar o Dia Mundial do Turismo 2016, cujo tema é: "Turismo para Todos – promover a acessibilidade universal”, foi apresentado, ontem, na Biblioteca Municipal da Nazaré, o 1º ano de atividade do projeto de turismo acessível e inclusivo na Região Centro.

8 municípios do litoral oeste: Nazaré, Alcobaça, Batalha, Caldas da Rainha, Lourinhã, Cadaval, Peniche e Torres Vedras fazem parte deste projeto inovador que, segundo explicou Pedro Machado, Presidente do Turismo Centro de Portugal, pretende "transformar o Oeste num destino turístico ainda mais acessível e inclusivo", tendo sido escolhido o território "com casos do sucesso", para o implementar, mas é desejo da Região "alargá-lo" ao país.

"A Nazaré, uma das nossas marcas mais fortes, com forte capacidade para se internacionalizar" foi a escolhida para a apresentação dos resultados de um trabalho iniciado há 18 meses, explicou aquele responsável.

Por seu turno, Walter Chicharro, Presidente da Câmara Municipal da Nazaré, afirmou que “tem sido preocupação da atual gestão autárquica tornar o espaço público (marginal, praia, edifícios públicos) acessível a todos”.

“Sendo a Nazaré um destino turístico, que tem vindo a afirmar a sua diferenciação em diversos produtos, nomeadamente nos desportos de mar e de ondas, ser acessível e inclusivo é uma mais valia”, adiantou o autarca.

Calcula-se que o turista que necessita de cuidados especiais (alérgicos, idosos, gravidas em final de gestação ou portadores de deficiências) representem cerca de 40% dos potenciais novos turistas disponíveis para viajar e conhecer novas culturas mais meses ao ano e pernoitar mais tempo na oferta existente, o que os torna importantes agentes na dinamização da economia e combate da sazonalidade.

“O mercado representa, nos 28 estados membros da União Europeia, 140 milhões de pessoas, 800 milhões de viagens e 350 mil milhões de euros, números que tendem a crescer com o envelhecimento da população”, explicou Ana Garcia, European Network for Accessible Tourism (ENAT), uma das entidades parceiras deste trabalho, que conta com o envolvimento de diversos parceiros,  e que visa a construção de uma Rede de Turismo Acessível e Inclusivo num território teste localizado em 8 Municípios do Litoral Oeste.

“Pretendemos fazer do Centro Portugal, cada vez mais, um destino de excelência nas várias frentes”, disse Pedro Machado.